Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

marisad_fernandes

marisad_fernandes

O início da mudança - 2

No dia seguinte ao nascimento do príncipe, estava cheia de dores musculares, parecia que tinha feito muitooooooo exercício físico 😂 mas bem! Sentia-me plena! Cheia de amor no coração! Feliz!

Recebemos a visita dos meus pais, da minha sogra, da avó do amor, da cunhada e do sobrinho! Tudo correu bem, nesse dia e no seguinte! 

No dia que íamos ter alta, o príncipe foi avaliado pela pediatra, e esta, referiu que tínhamos que ficar mais um dia para que o pequeno pudesse fazer tratamento à icterícia que tinha. Foi um balde de água fria, não consegui perceber porque tinha ficado assim, o que se passava, se estava melhor, se não, não conseguia comer, ele chorava a fazer o tratamento, eu chorava por outro lado.... mas bem, o papá encheu-nos de mimos! Cuidou de nós!

Depois dessas 24h a fazer o tratamento, tivemos alta, fomos para a nossa casinha, sob vigia ao pequeno príncipe! ❤

 

Aí, a nossa vida mudou! Tudo mudou! 

Beijinhos meus amores 😘

O Primeiro Aninho

2016-07-04 22.53.22.png

 

E já passou um ano!! O primeiro aninho!

 

É verdade meu amor, já contas o teu primeiro de muitos aninhos! E que ano foi este! Cheio de amor, aprendizagem, felicidade, alegria, gargalhadas... o melhor ano das nossas vidas!

 

Enquanto mulher e mãe, sinto-me completa, com mais em mim, mais para dar e para receber! Sinto o que é amar alguém mais que tudo na vida, sinto a necessidade de te proteger como a mais ninguém! Sinto a plenitude de um relacionamento que gerou o melhor dos melhores, o que a maioria dos casais deseja, ser mãe e pai! Cuidar, educar, amar, respeitar e ensinar com a melhor das vontades! Obrigada meu amor! Obrigada por seres a nossa luz, a nossa força!!

 

Não foi um ano fácil, foi sim, um ano exigente, mas compensatório! Tal como disse ao pai quando te vi a primeira vez, vale a pena! Vale muito a pena! Amo ser mãe! Amo ainda mais, ser a tua mãe!

 

Muitos parabéns principezinho! Desejamos-te o melhor de sempre, que todos os teus sonhos se cumpram, que nunca te falte saúde, e que te possamos acompanhar sempre!

 

Amamos-te mais que tudo na vida! 💖💖💖

O primeiro dia!

Entre muitas experiências cá em casa, hoje é O dia!

 

O dia em que vamos para o infantário!

 

Pois bem, o meu príncipe não é de estranhar muito os outros, quando gosta, gosta mesmo, quando não gosta choraaa! Mas em geral, é bastante simpático e fica bem com quem o confio. 

 

Este foi um dia esperado e ansiado já há muito! A expectativa, a curiosidade, a emoção do primeiro dia de escolinha! Os preparativos, comprar as coisinhas todas, preparar a mochila, a reacção dele, a minha! Bom, daqueles dias que nós nem conseguimos dormir bem, sabem?!? Aliás, hoje ninguém dormiu bem lá em casa!

 

De manhã, como sempre, bebeu o seu leitinho, mudar fralda, vestir e abalar para o infantário. Ficou bem, como costuma ficar sempre quando o deixo com alguém! Mas o meu coraçãozinho ficou apertadinho, pequenino, cheio de saudade e contando os minutos para ir busca-lo! Vamos passar o dia juntinhos para matar a saudade, afinal de contas, as nossas vidas vão ser um bocadinho diferentes a partir de hoje, pelo seu bem, pelo nosso bem! Faz parte do crescimento de qualquer criança, e temos de aceitar que eles crescem e se tornam cada vez mais independentes e crescidinhos! 

 

Tenho tanto para vos contar, mas bem, fica para outro post, para outro dia! Agora sim, com mais tempo para o nosso cantinho!  Já tinha saudades!

 

 

Beijos,

Marisa Fernandes

O primeiro dia de praia!

1655851_1144345048925308_641172865935323009_n.jpg

 

 

Foi ontem! Os horários não nos permitiram ir mais cedo, apesar de morar a 5 minutos da praia! Eram cerca das 19h00 quando lá chegamos. Foi memorável!

Tinha uma ideia pré-concebida de areia e príncipe não combinar, dele não gostar ou estranhar o toque, mas, pelos vistos, isso não foi o problema. Chegámos, despimo-lo, ficou só de fraldinha, muito atento a ver tudo o que se passava a sua volta num ambiente que lhe é estranho.

Observador, muito tranquilo e sorridente! Olhava para um lado, olhava para o outro, acho que tudo lhe despertava a atenção, as pessoas, o barulho, o mar... Nem o sol o incomodou! E lá fomos nos testar o mar, a água, que estava bastante quentinha (e acreditem que para eu dizer que estava quentinha, e porque estava mesmo quentinha!) e o príncipe não gostou nada! Primeiro fez ma cara, depois começou a chorar e a fazer o seu tão peculiar beicinho!

Lá fomos nós para a toalha, e tudo passou! Deitadinho a fazer festinhas e a conversar com a sua mamã, e a brincar com o pé na areia!

 

Experiência a repetir, e esperando que seja melhor ainda! ❤

Beijos,

Marisa Fernandes

A mãe, o filho e os outros!

a mãe, o filho e os outros.jpg

 

O nosso mundo muda com a maternidade, isso é um facto! Conhecemos os nossos limites, conhecemo-nos muito melhor, conhecemos os  outros muito melhor! Os AMIGOS, preocupam-se, entendem-nos, compreendem-nos, apoiam-nos! Os outros, afastam-se!

 

Os outros! Será assim tão importante, a opinião e as atitudes dos OUTROS?

Talvez sim, talvez não!

 

Quando um bebé nasce, todos querem vê-lo, pegá-lo, mudar a fralda, enfim.. fazer tudo! A mãe, muitas vezes, é alvo de criticas por tudo e por todos, todos sabem criar o filho melhor que a mãe, a mãe que está a aprender, a mãe que é a mãe!

Quando uma mulher dá à luz, quando uma mulher se torna mãe, o mundo à sua volta desmorona-se de uma forma muito fácil e rápida, muitas vezes sem darmos conta! O mundo da mulher muda radicalmente, as hormonas andam ali todas alteradas e a sua sensibilidade é extrema, e o nosso mundo, a nossa sociedade, não tem a capacidade de aceitar, compreender ou simplesmente de ver isso! 

 

Apesar de ser o mesmo "acontecimento" são duas histórias diferentes! São realidades totalmente distintas!

A mãe, que se preocupa com o bebé, se tem fome, se tem cólicas, porque é que chora, ou simplesmente se está a respirar! A mãe que não consegue estar longe do seu bebé, que não lhe tira os olhos de cima! A mãe que é mãe, que está a aprender uma realidade totalmente nova!

Os outros, que muitas vezes não respeitam essa realidade! Os outros que querem mudar a fralda, pegar ao colo, ou seja lá quilo que for, sem que a mãe diga "pode pegar / fazer". Os outros que muitas vezes, em vez de ajudar, atrapalham e complicam!

 

Queres ajudar uma recente mamã? Então pergunta-lhe onde a podes ajudar, faz-lhe o almoço ou o jantar, ajuda-a nas tarefas domésticas! Deixa que seja ela, a mãe, a permitir que cuides do bebé, para que ela possa descansar, comer tranquilamente, ou, simplesmente cuidar de si!

 

No meu caso, senti que todos queriam fazer aquilo que tinha de ser eu a fazer, que queriam forçosamente ser as segundas mães do meu príncipe! Há dias, em que me pergunto "será que não sei cuidar do meu filho?", "será que não posso fazer as coisas há MINHA maneira?". Durante TODA a gravidez, o que mais ouvi foi "a mãe és tu, tu é que decides, tu é que sabes!", mas a realidade é que depois do bebé nascer, toda a gente tem uma opinião, um parecer, uma coisinha que por muito mínima que seja, incomoda, chateia, chega a um ponto que nem podemos ouvir as opiniões! 

 

Por exemplo:

  • Se o habituas a dormir ao colo, estás feita!;
  • Dormir na cama dos pais??? Não pode ser! Não podes habituar!;
  • Não o habitues a dormir na mama!;
  • Não o habitues a pegar ao colo cada vez que chora!;
  • Deixa-o chorar!;
  • Dás muito colo, depois não fazes nada!;
  • O bebé chora, então ou tem fome ou tem dores!;
  • Tens de dar banho de X em X tempo;
  • Não sabes vestir a criança!;
  • Põe a fralda bem!;
  • Ele tem de se adaptar ao barulho!;
  • Depois há os contraditórios (com a mesma roupa!):
    • Uns dizem: Agasalha-o bem!;
    • Outros dizem: Ai tanta roupa!;

 

Isto são apenas alguns exemplos das 1001 coisas que já ouvi em dois meses! Acredito que os outros, não façam por mal (há sempre quem se ache a última bolacha do pacote), que muitas vezes, queiram ajudar, mas será isso que precisamos ouvir? Se eu ligo? Ouço, analiso, e cabe-me a mim decidir! Se o meu filho dorme ao colo? Sim, por opção minha e do pai! Se o pegamos ao colo quando chora? Óbvio! Se alguém tem a ver com isso? Não!

 

Mamãs! Os nossos bebés são do mundo é um facto, mas nós damos-lhe vida, damos-lhe educação, eles são o coração fora do nosso corpo, e nós melhor do que ninguém decidimos o que queremos ou não fazer em relação à sua educação! Nós decidimos como queremos criá-los, o que é o melhor para eles! Se somos perfeitas? Não, ninguém o é! Mas aprendemos com os nossos erros, com as nossas experiências! Por isso, deixem-nos aprender! Ajudem-nos a aprender, sem darem palpites, será pedir muito?

 

Estes típicos comentários, são geralmente efectuados por mães, mas lembrem-se que também já estiveram nesta situação, também tiveram de aprender e que também não gostavam de determinados comentários e atitudes!

 

As mamãs, sobretudo as mais recentes, com as hormonas aos saltos, precisam de estabilidade e calma à sua volta, e essa é uma boa maneira de contribuírem! Respeitando o espaço da mãe e do bebé, respeitando o descanso de ambos! Respeitando o não da mãe, ou do pai, sem um "porquê"! Nunca ouviram dizer "não faças aos outros aquilo que não gostas que te façam a ti?", pois é isso mesmo! Respeito!

 

Quando nos estamos a conhecer (mãe e bebé), precisamos de estar a sós com eles, precisamos de tempo e espaço para tê-los connosco, silêncio, calma e tranquilidade! Quando isso falha, quando isso não nos é permitido, a estabilidade emocional da mãe, cai, levando a coisas como a escassez do leite, ansiedade e até a depressões!

 

Acreditem que em dois meses, senti muito desrespeito por parte dos outros! E quando pedi respeito, não souberam o que isso era, por isso, a minha forma de reagir, de ver os outros, as suas opiniões e afins, mudou radicalmente!

Hoje, querem dar uma opinião, fiquem à vontade, a maior parte nem me entram na cabeça! Querem criticar, apontar o dedo, força, como se costuma dizer "a boca fica no mesmo sítio", não me faz qualquer diferença! Aprendi a escutar, apenas aquilo que me interessa! A dar valor apenas a quem e ao que me interessa!

 

Às que querem ser as segundas mães, pergunto eu, isso impõe-se, ou é algo que ELE, o bebé, é que vais sentir mais tarde? Fica um conselho, de alguém que um dia, já teve uma segunda mãe: cuidem da mãe, respeitem-na, e acima de tudo, respeitem o bebé e o espaço de ambos! Se a mãe estiver bem, o bebé está bem!

 

Se os outros têm importância? Alguns, absolutamente nenhuma! Outros, aqueles que verdadeiramente se importam, que valorizam, que se preocupam, esses têm toda! Mas, o verdadeiramente importante, é o meu príncipe, e o seu bem estar! A sua saúde! 

 

É fácil dizer um "amo-te", mas demonstrá-lo não é para qualquer um! Eu, fico feliz com todas as demonstrações de amor que temos cá em casa, todos os dias!

Felizmente, o pai do meu príncipe, é um pai bastante activo, bastante carinhoso, e ajuda-me muito, o que me facilita na hora de cuidar de mim, de descansar um bocadinho, de relaxar! Cuida de mim, cuida do filho e vai-me dando uma ajudinha em casa! Que mais posso pedir?

 

 Lembrem-se mamãs, o importante é o que se passa na nossa casa, com os nossos amores, o resto é relativo! 

 

 

Beijos,

Marisa Fernandes

 

 

10 coisas que devemos saber sobre uma grávida!

10 coisas que deve saber sobre uma grávida.jpg

 

Ainda grávida, já nas últimas semanas, lembrei-me de quão irritante e stressada fui ao longe de todo esse percurso da minha vida, e o quanto "sofreram"! Eheheh

Então pensei, porque não um post dedicado àquelas pessoas que têm uma vida menos fácil, por conviverem com frequência com uma grávida! Sobretudo, com as grávidas difíceis! 

 

Coisas que só uma grávida entende:

  1. O nosso olfacto está mais apurado que nuca, conseguimos detectar cheiros, sobretudo desagradáveis, a uma boa distância!
  2. O sono que nos ataca desde o inicio e que parece que nunca acaba, por mais que uma pessoa durma dia e noite!
  3. Uma fome que parece que só passa quando se come comida a sério e nada de pequenos snacks, ou apenas peças de fruta, não! Precisamos mesmo de pão!
  4. Não falem em comida! Tipo, nada de nada! Tudo apetece! Sobretudo coisas menos saudáveis! 
  5. É como estar com TPM durante 40 semanas! Mau humor, apetites, sensibilidade... Precisamos de muito mimo!
  6. Esquecer de tudo, só nos lembramos do bebé, das suas coisas, da sua chegada e de tudo o que acontece dentro de nós!
  7. Ficar a olhar para o espelho, durante um certo tempo, e ver a barriga como que um museu, carregando alguém que nunca vimos, mas que conhecemos e amamos melhor que ninguém!
  8. Sentir orgulho, pela primeira vez na vida, ao ver a barriga crescer!
  9. Rir (no meu caso, chego mesmo a dar gargalhadas) com os seus movimentos!
  10. Falar com o nosso bebé! Sim, não falamos sozinhas, falamos com eles, e fazemos tudo com eles e para eles!

 

Podia continuar... mas escolhi só 10! 

Por tudo isto e muito mais, sejam pacientes com as futuras mamãs, e lembrem-se que uma grávida tem a sua vida prestes a mudar radicalmente, e todo o apoio emocional que for dado é pouco! 

Boa sorte aos que convivem com grávidas e lembrem-se, os desejos das futuras mamãs, são ordens! 

 

 

Beijos,

Marisa Fernandes

 

 

A amamentação e os dramas na sociedade!

Quando engravidamos, temos muitas coisas nas nossas cabeças, muito para pensar, planear, decidir... Uma das coisas que está certamente muito presente, é a forma de alimentar o bebé - com aleitamento materno ou artificial? 

Há mamãs que optam deliberadamente por uma alternativa à amamentação, pelo suplemento alimentar, ou leite artificial, outras que preferem o materno, a decisão cabe a cada uma de nós!

Já se sabe, o leite materno tem muitas vantagens comparativamente com o artificial, nomeadamente as defesas do bebé, o relacionamento entre a mãe e o bebé ou até mesmo o facto de ser económico. No entanto, nem todas são as mulheres que querem e conseguem amamentar, e têm de recorrer ao suplemento.

 

No meu caso, optei por dar maminha ao meu príncipe, mas sempre ciente de que poderia não conseguir fazê-lo, e que se isso acontecesse não ia ser o fim do mundo!

O meu príncipe mamou 3 semanas sem suplemento, no entanto não foi suficiente e tivemos de introduzir um leite artificial, ao qual, felizmente se adaptou bastante bem. Foi o fim do mundo? Não! Não na minha cabeça, não na minha forma de ver este tema! Se custa? Sim, claro que custa a qualquer mulher saber que não consegue alimentar o seu filho da forma que escolheu!

 

Na semana passada, uma mamã, perguntou-me se me "fazia diferença" dar leite artificial em vez de materno, e a minha resposta foi não! Não, porque estou a fazer o que, no meu ponto de vista, é o melhor para o meu bebé! 

Muitas vezes a nossa sociedade é extremamente cruel neste assunto, há os que defendem apenas o leite materno como solução única, e que não acreditam que o bebé pode não estar sustentado o suficiente, há aqueles que, tal como eu, vêm outras alternativas, e há os que simplesmente não são apologistas da amamentação e por isso, são criticados! Daí este post! 

Sim, porque, apesar da minha opção inicial ter sido a amamentação, hoje que o meu príncipe apenas bebe leite artificial, sou muitas vezes olhada de lado, como se estivesse a cometer um crime! 

A nossa sociedade, primeiramente, deveria entender que a vida de cada um, a cada um apenas, pertence, logo, cada um deve e tem o direito de decidir o seu caminho! Se o nosso caminho passa por algo fora do comum, se não seguimos o caminho que a maior parte segue, isso apenas nos compete a nós! Então, vamos respeitar mais o próximo sem criticar as suas opções?

No meu caso não foi opção, mas e se fosse? Seria atacada pelo mundo? Incompreendida? O importante não é a saúde e bem-estar dos nossos bebés? 

Mesmo sem ser opção senti e sinto, uns dedos apontados na minha direção! Dou-vos um exemplo, há umas semanas, fui ao médico com o meu bebé, e um médico estagiário, perguntou-me se ele fixava o olhar em mim quando estava a mamar, e eu respondi que ele já não mamava, então o Sr. Dr. olhou para mim de tal forma, com um ar de crítica... Como se de um crime se trata-se!

 

Agora pergunto eu, não haverá respeito pela opção de escolha de cada mamã? Será que a celebre frase que mais ouvi na minha gravidez "a mãe é que sabe", de nada serve? Onde está a liberdade de escolha na nossa sociedade? Será que quando uma mulher fica sem leite, ainda tem de levar com a sociedade a critica-la? Será que não é suficiente ficar sem leite? E porque acaba o leite? Porque é que ninguém leva a sério as depressões pós parto? E porque é que ninguém respeita a mãe, o bebé e as suas necessidades? 

 

Assunto para um outro post!

 

Dá que pensar, mas muitas vezes, só pensamos realmente nestas questões quando passamos por isto! 

 

Beijos,

Marisa Fernandes

Dois mesinhos!

 

Olá a todos,

 

Já há algum tempo

 que não venho aqui ao nosso cantinho, é verdade, mas de facto, com um bebé para cuidar, biberões para dar, fraldas para mudar, u

m

a casa para gerir, demorei algum tempo para me conseguir organizar! Pode ser que esteja a conseguir! Eheh.

 

É verdade, já passaram dois mesinhos, dois mesinhos de muito amor dado e muito amor recebido! Então e não é que, não há mesmo coisa melhor do que ser mãe? 

Cada dia que passa, me sinto mais apaixonada por este pequeno ser, que já faz as suas gracinhas! Durante este mês, o meu príncipe começou a sorrir, a dar os seus gritos e a ter as suas conversinhas! Cá me parece que é muito falador, sai a mãe, que não pode ter quem lhe dê dois dedinhos de conversa!  E tem um sorriso tão malandro! É sem dúvida uma maravilhosa bênção!

 

Nestes dois meses, muito aconteceu nas nossas vidas! O mundo ficou virado do avesso, entre fraldas e biberões, um mundo ao qual nos tivemos de adaptar, um mundo que amamos! 

 

Parabéns a ti, meu amor, que já fazes parte de nós, e das nossas vidas de forma presente, há dois meses! Obrigada meu amor, por me teres dado esta maravilhosa oportunidade de aprender contigo, a ser mãe! Obrigada meu amor, por me dares vida todos os dias! Obrigada meu amor, por esse maravilhoso olhar apaixonado, pelo teu sorriso, um sorriso verdadeiro e genuíno! Amamos-te muito principezinho! 

 

Beijos,

Marisa Fernandes

O primeiro dia do pai...

Em primeiro lugar, o Dia do Pai é todos os dias! Defendo isto com unhas e dentes, como se costuma dizer.. Quer seja o Dia do Pai, como o Dia da Mãe, como o Dia da Criança, ou outro dia qualquer! Apenas comemoramos esse dia, de uma forma diferente, com um miminho extra!

 

Este ano, foi especial... foi diferente! Esperemos que o primeiro de muitos!

 

Sei que venho uma semana em atraso, mas como sabem, um bebé não nos deixa muito tempo livre, e o pouco que há é para aproveitar ao máximo! Há que rentabilizar o tempo! Ahahah! 

 

Este post, dedico-te a ti, agora pai, de um ser maravilhoso - o nosso menino!

 

Já é tarde para dizer "Feliz dia", mas nunca é tarde para dizer "Feliz semana, meses, anos... Felizes dias junto de nós! Agora, como papá!"

Não é tarde para te agradecer, todo o esforço e dedicação que nos tens dado, a ambos, todo o amor e carinho! Tudo, tudo, tudo!

Desde o momento em que entrei em trabalho de parto, naquela tarde, que tens sido incansável! Um apoio! Um suporte! Marido, amigo e PAI! Não me esqueço das tuas palavras durante a tarde, nem da tua cara a olhar para o nosso menino, logo que ele nasceu!  Vou guardar para sempre as vossas expressões desse momento! Não me esqueço da primeira vez que o pegas-te ao colo, que o vestis-te ou que lhe mudas-te a fralda! Foram, sem dúvida momentos maravilhosos de viver! Os melhores momentos!

Em poucos dias de vida do nosso príncipe, já conseguiste mostrar tanto amor, surpreender a cada dia, a cada hora, a cada minuto, a cada atitude! Surpreender pela positiva!

Em ti, tenho orgulho! Muito orgulho! Cada dia que passa mais!

 

Obrigada por seres o pai maravilhoso que és, o marido, o amigo... por seres tu!

Amo-te, amo-vos! 

 

Beijos,

Marisa Fernandes

A melhor bênção da minha vida!

Olá a todos,

 

Após umas semanas de ausência, venho dar-vos uma novidade!

No início deste mês, o mundo mudou radicalmente para mim, e para o meu amor, recebemos nos nossos braços, a melhor prenda deste mundo, deste universo, desta vida: o nosso príncipe! 

 

Sim, nem acredito, mas já o tenho nos meus braços, e graças a Deus,  estamos ambos bem! E sim, posso dizer, que é a melhor coisa, a melhor bênção que podemos receber! É maravilhoso! 

 

Para os mais curiosos, foi parto induzido,  e correu tudo bem! Não entro em pormenores relativamente à minha experiência,  pois cada caso é um caso,  e a tua experiência será sempre diferente da minha, no entanto, o meu conselho, para todas as grávidas,  é como se costuma dizer, "bola para a frente!", sem medos, confiando nas mãos dos médicos e de Deus, e tudo correrá pelo melhor!

 

A primeira coisa que disse aos meus dois amores, assim que o príncipe nasceu, foi "todas as dores, valeram a pena!", e acreditem, vale!

 

Beijos,

Marisa Fernandes